Carlos Brando

Nome do Jogo

Profissionais liberais e consultores não podem ficar doentes

AcidenteLi um artigo no efetividade.net que me fez lembrar de algo interessante. O artigo considerava o fato de ser muito mais produtivo um funcionário doente ficar em casa e se recuperar, do que ir trabalhar nestas condições e "contaminar" o ambiente de trabalho com sua doença e/ou indisposição.

Há alguns anos atrás me lembro de um caso inusitado onde um funcionário da empresa onde trabalhava foi atropelado e teve uma perna e braço quebrados. Acontece que alguns dias depois do incidente, o funcionário apareceu na empresa, com os dois braços engessados e com uma muleta, pronto para o trabalho! Uma cena ridícula!

Claro que não o deixaram trabalhar e mandaram-no para casa. Mas, por que uma pessoa nestas condições ainda queria trabalhar?

Quando um funcionário CLT (registrado, com carteira assinada) fica doente ou tem um problema destes, ele tem direito de recuperação completa, não deve ir trabalhar. Mas neste caso especifico o rapaz era um consultor dentro da empresa, sem vinculo empregatício, o que não lhe dá direito algum (legalmente se ele trabalha dentro da empresa todos os dias teria, mas este é outro assunto).

Os dias não trabalhos por motivo do acidente são dias perdidos no fim do mês. Para uma pessoa com problemas financeiros isto pode ser o fim. O que fazer num caso destes?

Existem centenas de empresas especializadas em seguro contra acidentes pessoais. Isto é perfeito para profissionais liberais e consultores. Este amigo ficou apenas algumas semanas sem trabalhar. Mas e se o acidente tivesse lhe impedido de trabalhar por alguns meses?

Veja outro caso. Uma amiga em outra empresa torceu o tornozelo e ficou uma semana em casa, recebendo. Tudo porque tinha um seguro de acidentes pessoais.

O site Finanças Práticas tem um artigo interessante sobre seguro contra acidentes pessoais. Se você é um profissional liberal ou consultor, pense em fazer um. Eu pago R$ 16,00 por mês para ter direito a 80% do meu salário integral durante um ano se for necessário.

Comments