Carlos Brando

Nome do Jogo

O Twitter está abandonando o Ruby. Eu faria o mesmo.

twitter

Com certeza você já ouviu muita coisa a respeito do Twitter estar trocando seu código de backend de Ruby para Scala. Mas o Twitter ainda continuará com Ruby on Rails no seu frontend.

Mesmo isso não afetando a vida de ninguém, uma certa polemica foi criada quanto a qualidade dos desenvolvedores do Twitter e principalmente sobre as capacidades do Ruby/Rails. Muitos membros importantes da nossa comunidade internacional escreveram em seus blogs a respeito deste assunto e a grande maioria demonstrou sua insatisfação com a decisão, muitos deles até levantaram quais decisões poderiam ser tomadas afim de melhorar o serviço e continuar com Ruby.

Sendo empático com a equipe do Twitter, eu posso dizer que tomaria a mesma decisão. É evidente que Ruby não é a melhor escolha para o Twitter.

O primeiro ponto que precisamos considerar é que o Twitter cresceu demais. Quando ele foi concebido não se tinha ideia de que faria tanto sucesso. E como é óbvio para qualquer usuário do serviço, dado aos constantes problemas de escalabilidade, ele foi criado com pouco ou nenhum planejamento nesta área, o que é totalmente aceitável para um projeto deste tipo.

Com o sucesso também vieram os problemas. E para ajudar a resolver estes problemas eles precisavam de uma linguagem que tivesse um sistema mais eficiente de threading, uma performance melhor e um baixo consumo de memória, coisas que não são consideradas como pontos fortes do Ruby.

Seguindo este raciocínio, talvez alguns questionem que ainda assim uma boa equipe de Ruby poderia resolver este problema de outra forma, talvez usando algum projeto como o excelente RabbitMQ, mantendo o código em Ruby e sanando grande parte do problema. Sim, tendo Ruby como minha linguagem de programação preferida também gostaria de ver isto acontecendo, mas temos de considerar que aparentemente, e devido a certos comentários feitos por Alex Payne, o twitter parece não ter uma equipe excepcional de Ruby. Mas por outro lado tem Alex, que por ter acabado de escrever um livro sobre Scala deve ser um profundo conhecedor desta linguagem.

Analisando por este angulo, concordo com a escolha e faria o mesmo se estivesse no lugar deles. Só espero que Alex treine muito bem sua equipe para que depois ninguém diga que Scala não escala, pois isto soaria ridículo.

Comments