Carlos Brando

Nome do Jogo

Interrupção não é colaboração

Recentemente passei por um episódio interessante que me fez pensar um pouco sobre o quanto a tecnologia realmente auxilia na produtividade. Fiz uma viagem para o casamento de um amigo e como trabalho remotamente, decidi que permaneceria mais tempo na cidade afim de aproveitar o fim de semana. Para estas viagens tenho sempre comigo um modem 3G que me mantém conectado a uma velocidade razoável, pelo menos na maioria dos lugares para onde vou.

Acontece que esta cidade especificamente não possuía um sinal 3G de qualidade, aliás às vezes não possuía nenhum tipo de sinal. Então tive de passar 3 dias com uma conexão pior que as antigas conexões discada. A comunicação com a equipe foi obviamente prejudicada, já que usamos Skype na maior parte do tempo. Até mesmo acessar uma simples página na internet se tornou um doloroso exercício de paciência, nem mesmo o Campfire era possível de se utilizar. Depois de pouco tempo, simplesmente abandonei o modem e passei a trabalhar 100% desconectado, por três dias, mantendo contato com a empresa apenas pelo telefone quando um assunto era questão de vida ou morte.

Já ouvi muitas vezes frases como: “A tecnologia está tornando cada vez mais fácil a colaboração”. Pois eu posso dizer, agora com a máxima convicção, que você pode trocar a palavra colaboração por interrupção na frase acima sem pensar duas vezes. Cada vez mais produtos e serviços visam nos deixar online por mais tempo, alegando que a possibilidade de ser encontrado e poder encontrar qualquer membro da sua equipe, não importa onde ele esteja (no escritório, no carro, no supermercado ou em casa) pode tornar seu time muito mais produtivo. Eu já acreditei nesta estória, mas agora eu vejo as coisas por um ângulo diferente.

Durante estes três dias eu me mantive desconectado, incomunicável e isolado. Mas também foi um período de alta produtividade e foco para mim. O motivo? Eu estava isolado, por isto não podia ser interrompido. Consegui concluir neste tempo muitas tarefas que estavam pendentes por semanas e a cada dia ao terminar o trabalho sentia aquela boa sensação de dever cumprido.

Ser produtivo não é algo que simplesmente acontece. Não basta apenas se sentar e sair produzindo. Entrar na zona de produtividade leva tempo. Às vezes pode levar 15 minutos, em outras ocasiões meia hora, ou uma hora ou até mais para entrarmos neste estado de concentração. Mas basta um simples telefonema, e-mail ou mensagem para lhe colocar novamente no inicio do ciclo.

Agora, toda vez que vejo algum site ou revista comentando sobre a nova ferramenta colaborativa da vez, em minha mente só consigo pensar que não passa de mais uma forma de conseguirem me interromper. E interrupção é o pior inimigo da produtividade. Pode soar estranho dizer isto, mas uma dose saudável de isolamento social e virtual pode fazer um bem extraordinário para sua alma. Se você desejar ser realmente produtivo, precisa de mais tempo sozinho.

Comments