Carlos Brando

Nome do Jogo

Não dê desculpas, dê opções

Eu sempre acabo martelando no mesmo ponto, programar é muito difícil, não basta apenas sentar na frente do computador e escrever código compulsivamente. Você trava uma luta árdua para garantir que tudo dê certo, se certifica de utilizar todas as técnicas e ferramentas que os melhores programadores recomendam e no final a lei que sempre prevalece é que “se alguma coisa pode dar errado, com certeza dará”. E ainda existem aqueles que dizem que “Murphy era otimista” (Lei de Clark).

Porém, todos temos de concordar que nem todos os fatores envolvidos no sucesso de um software estão nas mãos do programador. Mas faz parte do seu trabalho enxergar os riscos e alertar os envolvidos o mais rápido possível, principalmente se estes riscos estiverem fora do seu controle.

Você tem todo o direito de não assumir a responsabilidade por algo impossível de ser feito ou quando o risco envolvido é alto demais. É neste momento que você mostra o quão profissional você é. Apenas amadores assumem riscos desnecessários ou cegamente.

Mas se você assumiu a responsabilidade por alguma coisa, então espere ser cobrado por um bom resultado, independente do risco envolvido. Quando você cometer um erro (todos cometemos erros), mesmo que seja um erro de julgamento, não jogue a culpa em alguém ou em alguma coisa, nem encha seu chefe com desculpas. É humilhante jogar a culpa no cliente, na linguagem de programação, no processo ou pior ainda em seus colegas de trabalho. Nenhum, ou talvez todos, tenham sua parcela de culpa, mas ao invés de ficar se desculpado, dê opções.

Programadores são conhecidos por sua facilidade em resolver problemas, use isto a seu favor e antecipe riscos. Por exemplo, se você armazenar todo o código do seu projeto apenas no seu computador e seu disco rígido pifar, e você não tiver um backup, então a culpa é de quem? Talvez você até já tenha conversado com seu chefe sobre a necessidade de um sistema de controle de versão distribuído, mas ainda assim a culpa é sua.

Chamar o seu chefe e avisá-lo que perdeu todo o código do projeto não vai resolver o problema. Antes de chegar em alguém para dizer que alguma coisa não poderá ser feita, ou que atrasará ou que quebrou, pare e pergunte-se: As minhas desculpas soarão razoáveis ou estúpidas? Como elas soarão nos ouvidos da outra pessoa?

Tente imaginar a conversa em sua mente. O que a outra pessoa diria? Ele talvez diga “Você já tentou fazer isto…” ou “Você nem mesmo considerou fazer desta forma…”, como ele responderia? Antes de ir correndo contar as más noticias, tem mais alguma coisa que você poderia tentar? Algumas vezes, você sabe exatamente o que a outra pessoa lhe responderá, então evite mais problemas.

No lugar de desculpa, dê opções. Não diga simplesmente que uma coisa não pode ser feita, diga o que pode ser feito para resolver a situação.

Em alguns casos talvez você precise de recursos adicionais. Não tenha medo de pedir ou admitir que precisa de ajuda. A regra é sempre tentar encontrar uma solução para o problema antes de dizer em voz alta que existe um problema.

Comments