Carlos Brando

Nome do Jogo

Nos vemos no Rails Summit?

Parece que foi ontem quando o Fábio Akita apareceu com a ideia do Rails Summit Latin America e agora já estamos indo para a segunda edição do evento que já se consagrou como o mais importante da sua categoria no país.

Estarei novamente palestrando e assim como no ano passado o tema da minha palestra também terá uma forte relação com o trabalho que estou realizando no momento. Embora eu ainda não tenha divulgado isto publicamente, recentemente fui convidado para atuar como diretor de tecnologia em uma startup brasileira chamada SocialSmart.

socialsmart_logo_alta-1

A SocialSmart é uma empresa especializada no desenvolvimento de aplicativos para publicidade e branding em redes sociais. E quando o assunto é aplicativos sociais no Brasil, não podemos deixar de falar em Orkut e por sua vez em OpenSocial. Daí o tema da palestra introdutória que ministrei durante o Rails for Kids este ano: “Eu odeio OpenSocial”, onde mostrei algumas características desta plataforma que podem ser frustrantes para alguém que costumava ganhar a vida desenvolvendo projetos em Ruby on Rails.

Minhas primeiras semanas neste novo trabalho foram marcadas por prazos apertados, estresse e muitas noites sem dormir. Tudo isso graças a esta “maravilhosa” plataforma. Isto nos levou a conclusão de que a melhor estratégia seria desenvolver um framework que tornasse o nosso trabalho construindo estes aplicativos mais produtivo e divertido.

Atualmente estou trabalhando quase que em tempo integral no desenvolvimento deste framework.

Minha palestra no Rails Summit recebeu o título “Yet Another Ruby Framework – Como o Rails funciona por dentro”. Acredito que ao analisarmos juntos o funcionamento de algumas partes deste novo framework podemos entender com mais facilidade como o próprio Rails realiza algumas tarefas no seu núcleo. Além de uma visão geral sobre o processo de criação de um framework, também veremos através de uma analise do código como ocorre a inicialização de um projeto Web, como construir geradores de código e o que acontece por debaixo dos panos durante o processo de renderização de uma simples página HTML.

Infelizmente o tempo é muito curto para analisarmos cada passo da construção de um framework como o Rails em detalhes. Mas acredito que esta palestra lhe dará uma boa visão geral sobre este assunto, além de expor os motivos que levam uma pessoa como DHH a criar um framework como o Ruby on Rails.

E você, também vai estar lá?

Comments