Carlos Brando

Nome do Jogo

Contratos onde todos ganham

Lidar com computadores não é fácil, por outro lado lidar com pessoas costuma ser ainda mais complicado. A muito tempo eu já me convenci que o relacionamento entre clientes e programadores sempre serão problemáticos.

A forma mais simples de tentar diminuir a tensão entre os lados envolvidos são os contratos.

Um bom contrato deve deixar claro quais são os direitos e responsabilidades de cada um dos envolvidos. Também não deve deixar dúvidas sobre qual será a repercussão no caso de uma das partes não cumprir com o acordo.

Um tipo básico de contrato é o que define um preço fixo para o projeto. Esse tipo de contrato é a melhor opção para o cliente e a pior para o programador. Uma mudança no escopo ou um pequeno atraso e tudo vai para a conta do desenvolvedor, deixando todo o risco nas mãos do profissional. Normalmente esse é o tipo de contrato que mais dá problema, já que o programador costuma se sentir lesado por alterações no escopo do projeto e o cliente não se sente na obrigação de pagar mais por isso.

Por outro lado um contrato de tempo e recurso, onde o cliente paga pelo tempo de cada profissional alocado no projeto é o melhor contrato para o programador, mas é o pior para o cliente. Nesse caso, atrasos e alterações no escopo caem sempre na conta do cliente, mesmo quando a culpa não é dele.

Para beneficiar ambos os lados, talvez o mais interessante seja unir esses dois tipos de contratos em um contrato híbrido, onde o cliente e o programador definem um valor fixo menor e uma taxa por horas de trabalho.

Funciona mais ou menos assim: se você estimar que serão necessárias aproximadamente duas semanas (80 horas) para finalizar o projeto e normalmente você cobra R$ 100,00 por hora, então o custo estimado para o projeto seria de R$ 8.000. Nesse tipo de contrato você definiria então com o cliente um pagamento fixo no valor de R$ 4.000 e mais uma taxa de R$ 50,00 reais por hora trabalhada no projeto.

Se o projeto terminar dentro do prazo, o cliente terá pago exatamente o valor estimado para o projeto e todos ganham.

Se o projeto terminar antes da data, o cliente terá pago menos e você terá ganho mais. Digamos que o projeto seja finalizado com 60 horas trabalhadas. Então o cliente pagará R$ 7.000 pelo serviço, que é menos do que o esperado. E você receberá R$ 1.000 a mais do que você receberia pelas 60 horas trabalhadas. Mais uma vez, todos ganham.

Por outro lado, se algo acontecer e o projeto atrasar, então o cliente estará pagando adicionalmente metade da sua hora, dividindo assim igualmente o risco entre o cliente e o programador.

Não importa se você usa uma metodologia ágil ou um modelo mais tradicional, contratos são essenciais em qualquer negocio e não será diferente em desenvolvimento de software. O importante é que você nunca feche um negócio sem assinar um antes.

Comments